Zumbi dos PalmaresZumbi dos Palmares era visto praticamente como um deus, com poderes especiais, inclusive o da imortalidade. Existem poucos registros sobre o líder e sua história é cercada por algumas polêmicas. Apesar disso, o fato é que ele foi considerado um dos maiores símbolos da resistência durante o período colonial, principalmente, por ter auxiliado na proteção do maior quilombo que já existiu.

Nascido em 1655, no Quilombo dos Palmares, ele recebeu o nome de Zumbi, cujo significado no idioma africano quimbundo significa ‘espírito’ ou ‘fantasma’. A história conta que quando tinha cerca de 6 anos de idade, foi capturado em um dos ataques realizados contra o local. Ficou sob os cuidados de um missionário português que ensinou latim, português, catolicismo e ainda o batizou com o nome de ‘Francisco’ Zumbi.

Conseguiu fugir apenas aos 15 anos e retornou ao quilombo. Ele nunca havia esquecido o local em que viveu. Posteriormente, com o falecimento de seu tio, Ganga Zumba, ele se tornou chefe do local, sendo muito respeitado por todos. Seu reinado, como era chamado pelos quilombolas, onde Zumbi adquiriu o título de rei, se desenvolveu no período de sua liderança em todas as áreas: econômica, social, territorial e militar.

Além disso, ele surpreendia os senhores de engenho com estratégias interessantes para retirar os escravos das fazendas. Nestas investidas, acabavam adquirindo armas e outros materiais que seriam úteis durante as batalhas.

Morte de Zumbi

Após 100 anos, o Quilombo já havia passado por diversos ataques, porém, o governador da capitania de Pernambuco quando soube da coragem e habilidade dos bandeirantes que desbravavam todo o sudeste do Brasil, contratou um bandeirante paulista para eliminar o Quilombo dos Palmares. Seu nome era Domingos Jorge Velho e ele realizou alguns ataques durante os 15 anos em que Zumbi liderou.

No dia 06 de fevereiro de 1694, Domingos conseguiu destruir a capital do quilombo, mas Zumbi, mesmo ferido, escapou das mãos do bandeirante. O guerreiro ficou escondido, mas Antônio Soares, um dos quilombolas, em troca de liberdade, denunciou o local em que o líder estava escondido. O responsável pela captura dele foi o capitão Furtado de Mendonça que o matou, supostamente, na Serra Dois Irmãos, localizada em Alagoas.

Sua cabeça foi erguida em Recife em 20 de novembro de 1695 para mostrar a todos que sua imortalidade era um mito.

Curiosidades - Zumbi: Imortal ou Tirano?

Como nem a colônia e tão pouco os holandeses conseguiam dominar o Quilombo, surgiu a lenda de que ele talvez, fosse um ser imortal, cujo poder havia sido dado pelos deuses a quem servia. O líder também era capoeirista e estrategista com técnicas elaboradas para atacar seus oponentes. Outra polêmica apresentada por alguns autores é a de que Zumbi não foi aquilo que muitos acreditam, ou seja, um herói, mas sim, alguém que forçava os escravos, caso não quisessem ir com ele ou até mesmo, os colocava em um regime de escravidão dentro do quilombo.